terça-feira, 19 outubro, 2021

Piúma – Paulo Cola toma posse focando nos servidores e em melhorias nos serviços públicos

Editado em 1 de janeiro de 2021

O novo prefeito eleito de Piúma, Paulo Cola (Cidadania), assim como o seu vice e todos os onze vereadores eleitos prestam juramentos e tomam posse na manhã desta sexta-feira (01), na Câmara Municipal.

Paulo Cola, ao tomar posse ao lado de seu vice, pastor Ezequiel

Paulo Cola, ao fazer o seu primeiro discurso oficial, lembrou os poucos companheiros do início da caminhada e que acreditaram na mudança. Agradeceu a confiança dos eleitores, falou dos desafios, afirmou que ninguém tem cadeira fixa na prefeitura e garantiu a valorização dos servidores e melhorias nos serviços públicos. Confira parte do seu discurso:

Mudança

Cola lembrou o início do movimento por mudança, sobre um novo tempo, e que as pessoas, muitas vezes, julgavam impossível.

“Há dois anos, aproximadamente, surgiu a esperança de transformar Piúma em uma nova cidade. Um pouco mais de 10 pessoas se uniram e acreditaram em uma causa que muitos julgavam impossível. Repito o que falei recentemente: As causas impossíveis são as únicas que merecem serem lutadas, são as únicas que devem ser enfrentadas. Todas as dúvidas que alguém me dizia, que mudar a realidade de nossa gente, da nossa terra, era algo impossível, eu olhava e acreditava por traz das montanhas, de mãos dadas com algumas pessoas, com companheiras minhas e principalmente dessa cidade”, lembrou.

4.161 votos de confiança

Paulo lembra de seu ingresso na corporação da Polícia Militar e de seu juramento em dar a sua vida ao próximo. Enfatizou que honrará a votação que teve nas urnas, o grito de mudança e a vontade popular. E aproveitou deixa um recado muito claro para aqueles que queiram trair a confiança e a vontade do povo.

“Com um mais de 24 anos de idade entrei no serviço público como policial militar. Nós da Polícia Militar fazemos um compromisso com o povo, de dar a vida pelo próximo, de enfrentar o perigo com o risco da própria vida. No último dia 17 eu deixei a Polícia Militar, mas não abandonei o meu juramento de prestar o mesmo serviço à sociedade. Mesmo que isso custe o risco da minha vida eu honrarei este compromisso, seja qual for o preço que eu tenha que pagar no exercício político. Honrarei os 4.161 votos que tive nas urnas. Sobretudo honrarei a esperança do povo de Piúma que depositou, não na pessoa de Paulo Cola, mas na possibilidade de viver tempos melhores, que só podem ser construídos se dermos as mãos. Qualquer pessoa, sem exceção, que queira me dar à mão e olhar para o povo de Piúma, eu darei, mas, qualquer pessoa, sem exceção, que trair a confiança do povo desta cidade, pagará o preço que tem que ser pago”, afirmou.

Paulo Cola posa ao lado do presidente da Câmara, vereador José Carlos Araújo (PSDB), eleito com 169 votos.

Desafios

Conforme alerta, serão muitos dias de trabalho e dedicação, e pede a confiança da população e de familiares para este momento de muitos desafios.

“Esperem de mim e daquele homem que está sentado, o Pastor Ezequias, muito trabalho de dia, e se for necessário de noite também. Vivemos um momento sério e que já custou a vida de muita gente, e nós vamos enfrentar com muita seriedade mais este momento”, declarou.

Cadeira fixa

Fazendo um alerta aos secretários e comissionados, disse que ninguém tem cadeira fixa na prefeitura, a não ser os representantes eleitos diretamente pelo povo.

“Cuidar de quem cuida da gente. Eu sou funcionário público, servidor, e sei as dificuldades de ser servidor. Montei uma equipe, a melhor que eu pude até agora, mas, ninguém, com exceção de mim, prefeito eleito pelo povo, e do pastor Ezequias, na cadeira de vice-prefeito que ele é titular, ninguém, é dono de cadeira nenhuma dentro da prefeitura”, explicou.

Servidor Público

Um tema adormecido, a valorização do servidor, Paulo Cola lembrou da classe que ainda tem remuneração inferior a um salário mínimo e fala de motivação.

“Vou valorizar o servidor, abraçar o servidor, dá ao servidor o valor que talvez até hoje não tenha. É inadmissível um servidor público viver com menos de um salário mínimo, sendo assim não dá para esperar muita coisa de uma pessoa dessas, porque não está motivada. No primeiro momento em que a legislação me permitir e com saldo positivo na receita municipal, melhorarei o salário do servidor”, anunciou.

Serviço Público

Paulo Cola afirma todo seu comprometimento no atendimento do serviço público

“Porque o interesse público? Para que vocês cidadãos de Piúma, possam receber em suas casas o serviços que vocês merecem. Eu passei dois anos batendo à porta do piumense pedindo o seu voto e a sua confiança, agora é hora de retribuir com um bom serviço público. E se depender de mim e do pastor Ezequias, meu companheiro, conselheiro, amigo, irmão, o povo de Piúma viverá um tempo novo, de mãos dadas, olhando pra frente, e esquecer de olhar pelo retrovisor. É hora de olhar pra frente”, exortou.

Os vereadores Tobias Scherrer (Solidariedade), Jorge Miranda (PMB), Bernadete Calenzani (Patriota), Elber Luiz (PMN), Bruno da OI (Cidadania), Wallace Campi (PSD), Eliezer Dias (PMN), Danielzinho (PTB), Fernanda Taylor (Solidariedade), Fabrício Taylor (Cidadania) e José Carlos Araújo (PSDB), também tomaram posse.

Envolvimento

Paulo Cola conclama o envolvimento dos vereadores para esse novo desafio: “Então eu chamo a todos os senhores 11 vereadores, comprometidos com a segurança e destino do povo de Piúma, que estejam perto deste prefeito e envolvidos em nosso propósito”, alertou.

Enfrentamento

Para finalizar o discurso, o novo prefeito Paulo Cola deixou muito claro que não baixará a cabeça diante das dificuldades que possivelmente enfrentará e que lutará para o bem da população e da cidade.

“Durante a minha vida, por algumas vezes, estive de frente com a morte, bem próximo dela, muito próximo dela, e nem pra morte eu abaixei a cabeça. Para defender o povo de Piúma, dessa cidade, vou até as últimas consequências”, finalizou.

Devido a pandemia do coronavírus, o público presente à Cerimônia na Câmara de Vereadores foi reduzido

Eleição e cerimônia

O novo Prefeito de Piúma, Paulo Cola, que é tenente da PM, venceu as eleições com apenas 25 votos de diferença acima do segundo colocado, num total de 4.161 votos, representando 32,7 % dos votos entre os outros quatros candidatos que concorreram.

Em virtude da pandemia a cerimônia ocorreu com público reduzido e limitado, evitando ao máximo os riscos de contaminação pelo coronavírus. E a população pode assistir à posse através da transmissão ao vivo via internet da Câmara Municipal de Piúma.

Fonte: CapixabaNews – jornalista Fabiano Peixoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Recentes